Páginas

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Hábito

.
.



Hábito

As pessoas passam
bem portadas,
bem vestidas,
sorridentes
sempre indo.



As pessoas passam
camuflando
suas dores,
seus pesares,
sofrimentos.

E eu, parado, percebo
por que não percebem
os meus.

É o hábito
de fingir-se estar
sempre bem.


(Lalo Oliveira)

.

5 comentários:

Ingrid #) disse...

é, é quase inevitável, eu diria. Máscaras de porcelana sempre aparecem. Enfim, gostei porque é o hábito nosso de cada dia não perceber certas coisas e você conseguiu passar isso sem reabrir feridas, mas deixando claro que elas estão ai.

como sempre muito bom, Lalo. :)

outono disse...

prefiro o classicismo.

mas, mesmo assim, não deixo de admitir que suas poesias são, em sua simplicidade e modernismo, bonitas e inteligentes.

me lembrou "A Via Lactea", puf.

adeus.

Rody Cáceres disse...

parabéns me identifiquei com teu trabalho...visita o meu...

Mana Oliveira disse...

Todos somos atores de nossos pepéis pessoais.
( Conheço essa imagem )

Juana disse...

eu me sinto assim . ;~