Páginas

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Poema de Carnaval

Por trás do sorriso que há na avenida existe
Lágrimas de um trabalhador
Que sofre para sustentar os filhos e insite
Em ir à avenida ocultar sua dor.


Ria enquanto dura esta noite, homem!
Serás depois da meia-noite (denovo) um lobisomem
Melancólico e condenado à vida real,
Ria, portanto, enquanto dura o carnaval.


Fascina-me o brilho das tuas vestimentas,
Também o tecido, o modelo, a cor...
Vestindo-a esqueces o que te atormenta,
Mas não esqueça a tua camisa de vereador.


Existe por trás do sorriso talvez
Um vagabundo, um marginal ou um burguês,
Que foge da realidade indo à avenida,
Querendo esquecer os sofrimentos da vida.


Aproveite, homem, que o caminho é curto.
Seja você pai de família, burguês ou marginal,
Em breve acabará teu surto.
Ria, que acabará o carnaval.



Lalo Oliveira.

15 comentários:

Nigel Goodman disse...

não se preocupe se te compararem com los hermanos ou com o buarque, isso só mostra que você está no caminho certo. great minds think alike

Jan Träumer disse...

Ah, tb postei um poema sobre o carnaval no meu blog, depois passa lá pra ver. Gostei do teu.

abraço!

Blog Em Construção disse...

O carnaval e seus personagens tornam as mazelas do trabalhador mais evidentes,entre tanto colorido e alegria.Às vezes acho que um pouco de festa ilusiva torna a realidade menos destruidora,e é necessária.
Mesmo sendo contrária ao carnaval,vejo um lado mais importante da sua realização e conseqüênte existência.
Bjssssssssss!!!!!Adoro poesias :D

young vapire luke lestat news disse...

Li seu poema coincidentemente, após assistir o filme Orfeu do carnaval baseado na peça de Carlos Leão e João Cabral de Mello Neto.
Seu poema me transportou para dentro da temática do filme.

Quantas tragédias por atrás dos sorrisos nos rosto das pessoas que enfeitam da avenida no carnaval...

Belíssima poesia.

[]s L.Sakssida

Vírgula Antenada disse...

Eu fiquei sem saber o que dizer, pois o poema é contestado pelo seu comentário. Eu amo ler você, adoro mesmo cada novo poema e acho lindo o carnaval, o verdadeiro carnaval.

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

Muito bom, realmente existem muitos desses trabalhadores sofridos que tem só essa época do ano para descontrair.

Não sou muito fã de carnaval, mas respeito quem gosta. =)

Everaldo Ygor disse...

Olá...
Um belo e reflexivo Poemas.
Mais um momento efêmero...
Pão e circo...
O capital em suas relações extremas... Salvo o carnaval de rua e pequenos blocos, o resto e instituição...
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

Marco Antonio disse...

Eu também pensei em Los Hermanos!
Mas gostei da maneira como você retratou... eu pensei em escrever um sobre o carnaval, mas estou extasiado... pode ficar piegas demais!

Gostei daqui.

young vapire luke lestat news disse...

já comentado .
Só reafimando bela poesia amigo


[]s L.sakssida

Arne Balbinotti disse...

Pelo poema, e concordo com você, quem gosta gosta, quem não gosta muda de canal... putz, Tv aberta é fogo... só tem carnaval passando... hahaha.

Feänor disse...

Excelente poema!! A mensagem dentro dele é magnífica...

Me fez lembrar de um professor de literatura comentando sobre o Carnaval... Disse o básico, que era uma época de inversão de valores e tudo mais...

Daí alguém na classe, um dos que odeiam o carnaval, disse agressivamente que o carnaval deveria deixar de existir ou algo assim.

O professor respondeu:

"Não sei quanto a isso... Mas posso lhe garantir uma coisa: muita gente vive pelo carnaval. Muita gente sobrevive aguardando avidamente aquele dia singular em que todos podem ser especiais, sejam príncipes, cavaleiros ou plebeus".

Ele não gostava de carnaval, mas isso é fato: muita gente vive por este momento de libertação...

O que é muito triste, porque, no fundo, eles só querem reconhecimento pelas pessoas que são - coisa que muitos não conseguem na sociedade poredatória em que vivemos.

O carnaval está para o ano como a cervejinha de sexta está para a semana do trabalhador brasileiro: é o evento que compensa - ou tenta compensar - os martírios sofridos durante o resto do período...

мιℓℓєηα вєzєяяα ƒєяяєιяα disse...

Antes de tudo... poesia linda... não tenho comentários... o engraçado é que aqui em casa, minha mãe diz que vai fazer muuuitas coisas, mas tudo depois do carnaval... como se o carnaval fosse a divisão do ano, e quantas as pessoas em que nunca vimos e aparecem do nada no carnaval? com problemas, sem soluções, sem expectativas, e quantas estão por trás desta grande festa? as vezes nem damos valor a estas pessoas...

Dias Esporte disse...

Realmente...
o Carnaval, serve para ocultar mals sentimentos das pessoas, que ali vivem este momento.
Assim como os Romanos fazim, com a população.Para esconder os problemas, promoviam diverssão.

Jan Träumer disse...

Lendo tuas poesias percebi um certo cunho social. Legal!

Gisele disse...

Olá. Estava a procurar um poema sobre o carnaval para colocar no "about me" do orkut para essa semana de carnaval, e o seu foi o único que li que me satisfez. Muito lindo..