Páginas

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Cor Nova


Não julgue o meu amor
Com base no que já existe.
Não busque na “aliança divina”
A sua cor.

Não está na luz branca,
É cor nova,
Sem coisa para comparação.

Não é clara, tampouco escura.
Não é primária, solitária,
Nem mistura.


Pode ser que nem Deus a conheça,
É cor nova.
Com base no que já existe,
Não julgue o meu amor,
Minha cova.


Lalo Oliveira.


17 comentários:

Anônimo disse...

Não há sentimento que já não foi sentido.A ingênua singularidade do amor é mero reflexo da inexperiência humana.Amor tem precedentes seculares de homens também seculares.O amor ser inovador é apenas mais uma característica típica do amor tradicional.Não há escapatória:amor não apresenta mais cor nova. Deixem o amor ser julgado pelo seus antecedentes criminais

Lalo Oliveira disse...

Caro anônimo, respeito sua opinião, mas isso não é um ensaio filosófico - longe de mim! -, é uma poesia.

Raphael Pacheco ... disse...

E aí cara? blz?

Deixei 2 selos pra você no meu blog!

Passa lá!

http://umpacheco.blogspot.com/

Abraço

Sidcafeína disse...

Olá,
Seu comentário rendeu um post.
Grato pela visita.

www.cafeinasonaobasta.blogspot.com

Arne Balbinotti disse...

Discordo do "Anonimo", cada amor é uma cor nova, nenhum amor é igual, eu sei bem o que estou falando...
E amei a poesia, tanto que vou copia-la para alguma coisa, mas creditarei, não se preocupe.
Reflete minha situação atual, tem uma nova cor na minha vida, e seu poema me fez refletir sobre isso, chega de igualar as pessoas e os amores, cada um é cada um, e não é por que um foi uma merda que outros também serao.
Abraços.

Feänor disse...

Gosto da maneira como seus versos e estrofes fluem graciosamente de uns para os outros...

É raro constatar esta confluência poética hoje em dia. Normalmente, os versos apenas existem isolados do todo... Várias flores mortas em um buquê.

A sua poesia não, ela lembra as mil raízes de Yggdrasil, Árvore da Vida, um todo uno e coeso, que dão fruto à algo tão belo, único e precioso quanto o poema com que nos brindaste hoje...

Parabéns! Aprecio muito os poemas que você escreve.

Em tempo: apenas hoje notei o poema que está permanentemente gravado nesta tela de comments... E, ainda que esta não fosse a pretensão, ele se tornou um dos meus preferido!

Pétala Rubra disse...

Feliz sigo descobrindo um amor de cada cor ao longo do caminho...
Uma a uma, cada um deles perde seu brilho e ofuscam, tornando-se traços que colorem minha história.

Neste carnaval descobri uma nova cor que eu já conhecia e me surpreendi rs.

Adoro cada vez mais seus poemas.
Lindos, sensíveis e sempre me remetem à algo do meu cotidiano.

Um beijo.

R Lima disse...

É por isso que de tanto procurar um dia acharemos.. porque cada Amor é único.. cada um difere e nos aquece.

Cada um nos ensina e nos contamina..

Taí isso sim dá um bom post.. rss

Grande Abçs meu velho.. e bom sempre retornar e vêr coisas boas aqui.

Sua genialidade me conduz.



Texto de hoje: CoRaçÃo...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Vírgula Antenada disse...

É por isso que não deixo de te ler, ler, ler, ler...
Desafiador entender o que realmente vc quis dizer e eu não vou me arriscar. Me doeu e isso a mim basta. Lindo. Colorido.

Arthurius Maximus disse...

emoção, lirismo, sentimentos, sinônimos tão diferentes quanto o sentimento que cada um tem. Amor é amor e isso basta.

Poema excelente.

Dani disse...

Simples e belo
fico feliz or visitar blogs e em cada um descobrir um talento
sim o amor tem varis cores, formas, senidos e por ai vai....

maravilhada estou com suas poesias e nao falo por falar gostei msm
parabéns pelo blog

bjus




www.letter-star.blogspot.com

Jairo Assunção disse...

´ÓO cupido pra longe de mim, tãrãn rãn rãn..´

SouMusic disse...

Lalo, axo que algumas só são enjoadas qnd estão fora do filme...
A trilha de Titanic só enjoada qnd ouvimos num cd... mas qnd eh no filme, nós nem percebos q ela ta lá na maioria das vezes...

Qnto ao seu Blog, axei esse poema legal. Confesso q entendo pouco, axo q preciso vivenciar mais isso...

Qm sabe seu blog ñ ajude?!

http://jukeboxmix.blogspot.com/

Rui Felipe disse...

Bonito!
Apesar de toda história de amor se parecer com uma outra, é única. Cada um sabe o que viveu, o que sentiu.
Todo experiência é única. Nunca houve um igual, e nem haverá!!!

Luiz Felipe disse...

poderia fazer um comentário não banal, mais não tenho ineligência pra isso =)

Arthurius Maximus disse...

Mesmo já tendo lido o poema aqui, ainda me espanto com a profundidade dos versos.

Jan Träumer disse...

Debates filosóficos!
Eu simplesmente gostei, ainda mais hj, dia triste, pq fiz um besteira, e terminei um relacionamento q eu estava gostando muito.
Meu amor na cova!