Páginas

domingo, 4 de janeiro de 2009

Chega de Poemas Bestas de Amor

.
.


Chega de poemas bestas de amor
Ou que se aproximem deles.
Já não carece narrar Ilusões
Dores e preces.

Vou falar de qualquer coisa
Que renda alguns bons versos,
De lugares, de pessoas,
De problemas diversos.

A menina que vende balas,
Coitada... merece um poema!
Ainda que sem inspiração,
Feio e cheio de pena.

Como merece o motorista
Arrogante, sem educação,
E a prostituta bonita
Da praia de Cabo Branco.

Vou fazer um poema para tudo que existe.
Mas de amor? Faço mais não...
Posso até bajular algum santo,
Mas poemas de amor não faço!

Por enquanto.



(Lalo Oliveira)


.
.

4 comentários:

M. Augusto disse...

A situação econômica atual da Mongólia é um bom tema para poemas... Mmmm... Pensando bem... Fico com o amor, e digo mais: é mais empolgante "vivenciar" o amor para depois falar sobre o mesmo... Dessa forma, não desista jamais de usá-lo como tema, ou desista, consciente que provavelmente já o tenha deixado de "vivê-lo" e senti-lo.

Nina Ferreira disse...

Respeito. Mas não confio.
Ninguém vive sem falar de amor.

[ rod ] disse...

O amor, às vezes, é tão utópico e ambíguo que é melhor mesmo nem falar nele...

ainda mais quando o forçamos a nos ver.

Abçs moço,









Novo Dogma:
levantaR-se...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Juana disse...

Eu queria poder ficar sem pensar no amor, nem que seja por um instante.