Páginas

domingo, 27 de julho de 2008

Da Diversidade


Olha, se sou assim fechado
Não é por desgosto de nada.
Algumas pessoas falam muito,
Outras são apenas caladas.


Se não rio de tudo
Não é por falta de graça.
Algumas pessoas são sérias,
Outras pessoas, palhaças.


Há pessoas que são divertidas
E fazem de um velório uma festa,
Outras são introvertidas,
Tímidas e reservadas.


Tem quem creia em um deus
E quem creia em mais de um,
Quem deusifique animais
E quem não tenha deus nenhum.


Há gente de todos os jeitos:
Altas, gordas, baixas, magras...
Deixa estar, não mexe
Na panela que estraga.


E ninguém é melhor que ninguém,
São só jeitos de ser.
Jeitos que apenas são,
Sem a pretensão de querer.


A humanidade foi sempre assim
É necessário ter respeito.


Vai cada qual com seu jeito,
Eu não critico a você,
Você não critica a mim.


E a harmonia vai junto com a gente,
Presente, até o fim.

(Lalo Oliveira)

7 comentários:

Only feelings... disse...

Minino que otimismo! Gostei, o povo de Israel devia ter isso como mandamento, hehehe, mas sempre tem um "espertinho" que se acha a última coca-cola do deserto... :P
ô povo besta.
xêro baby
:*******

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Na minha opinião dava pra enxugar, retirar mta palavra sobressalente, melhorava. Mas de q vale a opinião do tio, né?

Patrícia Gomes disse...

Um mimo... ;oD
http://estadodelitio.wordpress.com/2008/08/09/premio-dardos/

Everaldo Ygor disse...

Olá! Poeta...
E as diversidades, em linhas, em poemas, nos Seres todos... E quando fechado, sempre aberto para as tormentas do pensamento, da criação, da poesia - presente até o fim...
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/
"Garganta"

Gabriela disse...

Tua poesia é bem oral, essa daí fica legal pra proclamar nas tuas reuniões! ;)
=*

N1nha disse...

Liiinda...

Mike disse...

Simplesmente me identifiquei com essas estrofes, me ví, esse poema me serviu como espelho, que reflete quem sou.